Parque Estadual Intervales

O Parque Estadual Intervales localiza-se no sul do Estado de São Paulo entre os municípios de Ribeirão Grande, Guapiara, Sete Barras, Eldorado e Iporanga.

Juntamente com o Parque Carlos Botelho, Estação Ecológica do Xitué e PETAR, constituem a maior área contínua de mata atlântica do Brasil.

É reconhecido desde 1999 pela UNESCO como Sítio do Patrimônio Mundial Natural.

Acesso pela Estrada Municipal, km 25, Ribeirão Grande, SP.

Abrir mapa

Criado pelo Decreto Estadual nº 40.135/1995 de 08 de junho de 1995, o Parque Estadual Intervales pertence ao sistema de Unidades de Conservação do Estado de São Paulo e é  gerido pela Fundação Florestal.

Localizado na área núcleo do Contínuo Ecológico de Paranapiacaba, o parque protege, junto com o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), o Parque Estadual Carlos Botelho, o Parque Estadual Nascentes do Paranapanema, a Estação Ecológica de Xitué, a APA dos Quilombos do Médio Ribeira e parte da APA da Serra do Mar, o segundo e mais importante corredor ecológico de Mata Atlântica do Estado de São Paulo.

O Parque Estadual Intervales foi criado em junho de 1995 com o objetivo de proteger os remanescentes da Mata Atlântica do Estado de São Paulo. Está localizado na área do Contínuo Ecológico da Serra de Paranapiacaba. Em cerca de 40.000 hectares, são encontradas mais de 700 espécies de invertebrados, 49 de peixes, 101 de anfíbios, 44 de répteis, 420 de aves e 121 de mamíferos. O Parque Estadual Intervales está integrado no circuito mundial de observadores de aves e recebe turistas das mais diversas áreas do mundo.

Essa região, em tempos remotos, ganhou fama pelo ouro de aluvião que brotava de seus cursos d´água e ainda hoje, no entorno e no interior de Intervales, encontram-se resquícios dos “encanados, estruturas de pedras construídas à época dos bandeirantes para facilitar a extração de tal riqueza.

Se planeja visitar o Parque Estadual Intervales, seguem algumas informações importantes:

  • Dias e horário de funcionamento: Segunda a domingo, das 8h às 17h. Visitas às cavernas ocorrem de terça-feira a domingo das 8h às 15h. É necessário o agendamento para visitas monitoradas (observação e aves e visitação a cavernas e trilhas)
  • Com exceção das trilhas auto-guiadas, todas as demais trilhas do parque devem ser visitadas com acompanhamento dos monitores ambientais.
  • Ingresso: R$ 15,00 (Crianças de até 12 anos, adultos com mais de 60 e pessoas com deficiência também não pagam. Estudantes pagam meia entrada, mediante apresentação de documento)

Intervales tem várias atrações. Os visitantes podem fazer simplesmente uma pequena caminhada na beira de um lago, a chamada trilha auto guiada, que os levará a admirar o castelo de pedras, a capela de Santo Inácio, a espia, casa do artesão, entre outros atrativos que poderão ser visualizados, ou se aventurar por cavernas e cachoeiras, escolhendo entre mais de vinte trilhas monitoradas em meio à exuberante Mata Atlântica.

Fauna e flora

Birdwatching por Renato Paiva - PE Intervales - Ribeirão Grande - SP

Os monitores que acompanham os frequentadores constituem uma atração à parte. Eles são da própria região e possuem um grande conhecimento prático sobre a fauna e flora locais. Alguns são procurados com grande antecedência por pesquisadores e observadores de aves de outros países devido à grande facilidade para encontrar e identificar espécimes raros da fauna.

Grupo de observadores no PE Intervales

Os maiores frequentadores internacionais de Intervales são os observadores de aves vindos da Europa e dos EUA. A preservação de espécies como a jacutinga, onça pintada, o mono-carvoeiro e outras que necessitam de muito espaço, só foi possível graças à extensa sequência de parques naturais interligados, ficando distante da costa e avançando pelas serras em variantes de altitude de 60 aos 1.095 metros.

Para os observadores de aves, Intervales tem basicamente 3 grupos de aves que podem ser avistadas: As aves que se são avistadas durante todo o ano, as aves encontradas no verão e as aves encontradas durante o inverno.

Muitos observadores, ornitólogos, fotógrafos e amantes da observação de aves, visitam o parque buscando essa ampla variedade de pássaros. O Parque hoje ultrapassa 400 espécies de aves e mais de 100 espécies de mamíferos registradas dentro do seu território.

História

Na Segunda metade do século XX, a Companhia do Incremento Rural do Altiplano Paulista CIRAP instalou-se na Serra de Paranapiacaba com a intenção de implantar um projeto agropecuário que não foi bem sucedido, perdendo suas terras para o BANESPA. Esta instituição, visando o aproveitamento econômico da área, implementou obras de infra-estrutura como a construção de estradas, de uma pequena vila com saneamento básico (o espaço da atual Sede) e de bases de vigilância. Foi instalada na região da Sede, uma fábrica de beneficiamento de palmito. Apesar de existirem recursos minerais, o aproveitamento destes foi inexpressivo. Na década de 80, com a decretação da Área de Proteção Ambiental da Serra do Mar, a FAZENDA INTERVALES foi a ela incorporada, passando para a administração da Fundação Florestal em 1987.

Em 8 de junho de 1995, o então governador de São Paulo, Mário Covas, assina o Decreto 40135/95, dando à reserva o status de Parque Estadual que viria a pertencer ao sistema de Unidades de Conservação do Estado de São Paulo gerido pela FUNDAÇÃO FLORESTAL.

Fonte:


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.